Mão – estrutura básica

Comecemos com as mãos. A mão é composta da palma e cinco dedos: polegar, indicador, médio, anular e mindinho. Até aqui, nada demais, certo?
Vamos olhar agora com um pouco mais de calma. Essa foto é da minha mão (faz meses que não faço as unhas, dá um tempo!):

Como podem observar, não sou alienígena, minha mão não é verde e tenho cinco dedos com polegar opositor. Importante isso.
Muitos livros de desenho sugerem simplificar a mão como uma composição de um retângulo com 5 palitinhos articulados. Como minha mão é gordinha, ao invés de um retângulo, ficou mais um quadrado… mas vá lá, dá para entender:

Agora, as articulações:

Agora vamos comentar de alguns detalhes. Notem que todos os dedos possuem tamanhos diferentes. Enquanto a maioria dos dedos tem um formato semelhante, o polegar se destaca um pouco pela posição de onde ele sai do “retângulo” e pela estrutura de suas articulações. Como a primeira e segunda articulações do polegar encontram-se praticamente dentro do “retângulo”, sugere-se que se simplifique o polegar como se ele tivesse apenas a segunda e a terceira articulações. Ainda que seja uma dica simples, ajuda bastante. Os demais dedos são representados com três articulações e três palitinhos. O dedo médio é o maior (o dedo “mal-criado”), seguido do dedo indicador (o que usamos para apontar), depois o dedo anular (o de colocar alianças/anéis) e o mindinho. A simplificação segue abaixo:

Repetindo, a mão é um retângulo com 5 palitinhos articulados. O dedão composto de dois palitinhos menores, os demais dedos compostos de três palitinhos menores. Com isso você já consegue fazer muita coisa, mas ainda não acabou. Continuemos observando…
Um erro bastante comum é acreditar que os dedos grudam direto uns nos outros, mas isso não é bem verdade. Abra bem os dedos e você verá que tem um tipo de um “vale”, um espaço entre cada dedo. Se você respeitar este espaço, o desenho da mão terá uma sensação mais natural. Veja as setinhas vermelhas abaixo:

Espero que ajude. Mais para frente devo acrescentar mais algumas dicas interessantes sobre o desenho de mãos. Abraços!

Modelos de mãos fechadas

Quero apenas fazer um curto post sobre o desenho de mãos. O primeiro de muitos posts sobre o assunto.

Mãos são uma parte do corpo bastante expressiva e utilizadas como recurso para exprimir afeto, raiva, conflito, etc. São tão importantes para a expressão quanto o rosto do personagem. Incluse não é incomum que as mãos sejam a única parte do corpo a aparecer numa cena, dizendo com uma imagem tudo aquilo que precisava ser dito.

Seguem alguns exemplos, como do Venus Capriccio (o artista desenha mãos bem demais!). Primeiro as mão entrelaçadas do casal, depois a mão dela e a mão dele:

Nos mangás, as mãos femininas são desenhadas de maneira mais delicada, com menos marcas e nódulos, e geralmente sem o desenho dos tendões. As mãos dos personagens masculinos são mais angulosas, maiores e com mais marcas.

Na mão seguinte, achei interessante o uso do screentone  com o desenho da mão, mostrando a indignação, a confusão do personagem. Acho que foi o único lugar que vi esse recurso gráfico.

E, para terminar, mãos de um casal, que achei especialmente bem desenhadas, representando delicadamente o encontro dos dois personagens principais:

Uma autora de Shoujos que é especialmente boa para desenhar mãos é a Matsuri Hino, do Meru Puri e Vampire Knight. Seguem alguns desenhos de mãos do Meru Puri. primeiro da Aili (heroína):

Do Alan adulto (heroi) e do Jeile (irmão do heroi):

E as mãos da Aili e do Alan. A Aili estava num aperto e o Alan veio ao seu encontro, tão bonitinho!

Reparem no cuidado da autora de fazer a mão do Alan (mão que segura) um pouco maior que da Aili (mão segurada). A diferença de traços das duas mãos, com a mão do Alan um pouco mais angulosa que da Aili, passando a sensação de que a mulher é mais delicada e frágil e o homem mais robusto e protetor; características tradicionalmente atribuídas aos dois gêneros.

Juvenile Orion e Cynical Orange

O único motivo de juntar esses dois mangás em um único post é porque li eles em um período próximo de tempo, os dois tem caracteristicas gráficas interessantes.

 

Algo que achei especialmente interessante no Juvenile Orion é o desenho dos membros do corpo e alguns uso de perspectiva que lembrar o estido de um Shounen Mangá mais do que Shoujo (Shounen é voltado para meninos, Shoujo é para meninas). Seguem alguns exemplos:

Neste último, a perspectiva está muito bem feita, dando a sensação de naturalidade. Não é uma imagem simples, não, não se engane. Repare que uma mãe está num primeiro plano, depois o rosto, ombro e pernas, por fim a outra mão com o ombro e a cintura. Esse cuidado com as proporções dá a sensação de naturalidade e de dinâmica da figura. Segue mais uma imagem com bom uso da perspectiva:

Perceba que as sombras do screentone na mão dominante são utilizadas para incrementar o efeito de profundidade.

 

Sobre o Cynical Orange, existem alguns recursos interessantes que gostaria de colocar aqui no Blog:

Gostei especialmente da maneira como foi feito o efeito com os quadradinhos no fundo do quadro, principalmente o uso de cores e a distribuição no quadrinho.

Neste quadro, o efeito de cortar pela metade o quadro com o screentone, além de não completar a imagem da personagem, passam a sensação de sensualidade e mistério. Outro aspecto interessante desta imagem é a maneira de desenhar a boca, com uma grande quantidade de traços levemente arredondados.

Agora farei uma longa pausa por conta do feriado, mas semana que vem volto com os posts. Boa semana  ;D